segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Desabafo a respeito da reportagem da record...

 Gostaria de postar o vídeo mas através do R7 não consegui então deixo aqui o link: http://noticias.r7.com/videos/motorista-passa-mal-em-estrada-e-provoca-acidente-veja-as-imagens/idmedia/4f25e418b51a2654f0b81366.html

 Gente, a maior polêmica essa reportagem, não concordo com a entonação da repórter, com a maneira como explicam o que é uma Hipoglicêmia, e muito menos com a insinuação que fazem que o Sr. Jurandir por ser diabético e ter uma Hipo o torna descontrolado, acho que deveriam falar do tratamento que devemos ter e que para o controle, necessitamos de vários insumos que apesar de serem garantidos por lei, muitas vezes chegamos no CS e levamos um não temos, ou um está em falta e sem previsão de reabastecimento na cara, e que a maioria dos brasileiros não tem condições financeiras de bancar um bom tratamento que resultaria no controle adequado de sua Diabetes, diminuindo não só as Hipoglicêmias recorrentes, mas que traria a ele mais qualidade de vida e o deixaria longe de maiores complicações.

 O Ministério da Saúde sempre que questionado refere entregar insumos necessários à todos portadores da doença, o que sabemos não ser verdade, pois o que julgam necessário nem sempre é o que nossos médicos julgam ser o melhor pra nós, mas sim o que tem de mais barato (refiro me as insulinas NPH e Regular), o glicosímetro e as tiras reagentes só são fornecidas à insulino-dependentes, e em quantidade insuficiente ao controle rígido que a insulinização exige, DM2 nesse caso, pra saber se está com a glicemia numa boa taxa pra dirigir (ou realizar qq outra atividade), teria um gasto médio de R$ 3,00 por medição... Num País onde muitos não tem um pãozinho no café da manhã, me digam de onde vai sair esse custo?

 A educação em Diabetes é outro fator relevante, uma vez que grande parte da população é portador da doença ou será nos anos seguintes e não se sabe nada além de que um diabético não deve consumir açúcar senão morrerá ou terá sua perna amputada, ou certamente ficará cego... Informações essas totalmente errôneas, comprovada pelos meus muitos amigos DM há 5, 10, 15, 20 anos e até mais sem nenhuma dessas complicações.

 Sou grata por ter conhecido grupos na internet de pessoas com DM, pois não tinha nem vontade mais de sair da cama, após uma médica me dizer que eu me cuidando ou não, teria lesão nos rins em 5 anos, e que seria obrigada a viver parte do meu dia ligada a uma máquina de Hemodiálise, após mais 5 anos provavelmente estaria cega, e que as amputações fazem parte da vida de um diabético, impossível mantê-las longe de vc por muitos anos. Tive que ouvir isso acreditem, e ao sair do consultório com os olhos marejados de lágrimas, enxugá-las, pois jamais eu falaria pra meu marido e filha que estavam no carro à minha espera o que aconteceria na vida deles dentro de 5, 10 anos... Nunca quiz ser um peso pra ninguém, e não ia aceitar que minha filha antes de completar sua faculdade talvez fosse obrigada a deixá-la pra cuidar da mãe, cega numa cadeira de rodas, ou "ver" (imaginar, né) meu marido com a esposa nessas condições, cheguei a pedir ao Senhor que me tirasse a vida, por sorte sou um tanto covarde, e não tive coragem de atravessar a rua de repente pra ver se morria embaixo de um carro, como muitas vezes pensei em fazer.

 Trabalho na área da Saúde, sou Monitora em moradia com pessoas portadoras de deficiência mental, e já presenciei o descaso de uma funcionária de um conceituado hospital da região, onde faço tratamento, ao chamar a atenção dela pois uma colega gestante após medir sua Glicemia em 55mg/dl às 3h, recusou o lanche (2 bolachas água e sal e um copo de chá c/ adoçante, o que não seria suficiente pra elevar tal glicemia) pois na manhã seguinte precisava colher exames em jejum. Fui ridicularizada por ela que ligou no setor de enfermagem e enfatizou que eu trabalhava na área mas que não era da enfermagem, e que mesmo assim insistia que a moça deveria se alimentar, pois se dormisse em jejum, poderia até mesmo entrar em coma, afetando não só a ela, mas tb ao bebê que carregava.

 Faço questão de ressaltar que o fato de trabalhar na área não me ajudou muito no quesito Educação em Diabetes, pois posso garantir que tudo que sabia antes de me tornar DM era vergonhosamente o que todos sabem à respeito do não consumo de açúcar. E que tudo que sei hoje é graças ao meu grande interesse pela minha vida, através de pesquisas na internet, participação em Blogs e Grupos de DM em redes sociais, aprendi o pouco que sei, médico nenhum me deu maiores informações, além das já comentadas.

 Felizmente onde trabalho convivo com pessoas que são cuidadoras de DMs, assim como eu, e tenho o maior prazer em discutir sobre o assunto, e desmistificar o Diabetes, e tento fazer o que posso, pra garantir à elas algo além do vidro de adoçante.

 Poderia ficar horas à fio a descrever as tantas barbaridades que já vi e ouvi nesse 1ano e 4meses do meu diagnóstico, fica aqui apenas mais um desabafo, de mais uma das tantas pessoas portadoras dessa disfunção hormonal, que todos insistem em chamar de doença (até eu mesma, por mero costume), indignada com o desleixo a qual somos tratados pelos nossos governantes, médicos, mídia, e etc...

2 comentários:

Du Maya disse...

Meu nome é Dulcinéia sou mãe da Giovana de 5 anos DM1 a 3 anos...realmente escutamos várias barbaridades..mais graças à Deus temos sabedoria e discernimento para não deixar essas coisas nos contaminar...continue forte e otimista..tudo da certo quando se tem um bom controle...
entre no nosso blog para conhecer tbm..bjs
umdocinhochamadogigi.blogspot.com

Carolina Lima disse...

Julyanna, Que dê tudo certo no seu parto!!!! Estamos aqui torcendo por vocês!!! Beijos meus e da Jujuba!!!!